O preço não tem nada a ver com o custo do produto. Quem define o preço é o mercado”, disse um executivo da Mercedes-Benz, para explicar porque o brasileiro paga R$ 265.00,00 por uma ML 350, que nos Estados Unidos custa o equivalente a R$ 75 mil.

“Por que baixar o preço se o consumidor paga?”, explicou o executivo.

Participe no Protesto!

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Impactos de medidas argentinas ainda são desconhecidos, diz Pimentel

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1043796-impactos-de-medidas-argentinas-ainda-sao-desconhecidos-diz-pimentel.shtml

O ministro Fernando Pimentel (Indústria e Comércio) afirmou que ainda não é possível medir o impacto provocado nas exportações brasileiras pelas novas medidas protecionistas adotadas pela Argentina, e que entraram em vigor na última quarta-feira.
Ele reconheceu, no entanto, que a postura do país vizinho vem incomodando o empresariado nacional. "A reclamação sempre é pertinente. É direito deles reclamar", ponderou.
Pelas novas regras, os argentinos exigem das empresas informações prévias sobre todas as importações de bens de consumo. As compras deverão ser analisadas entre 72 horas e dez dias.
"O governo brasileiro tem a postura de aguardar a entrada em vigor dessas medidas e ver se isso vai ter impacto negativo no comércio ou não. (...) Espero que não seja nenhum. Por enquanto não [há impacto]", afirmou o ministro nesta sexta-feira (3).

Nenhum comentário:

Postar um comentário