O preço não tem nada a ver com o custo do produto. Quem define o preço é o mercado”, disse um executivo da Mercedes-Benz, para explicar porque o brasileiro paga R$ 265.00,00 por uma ML 350, que nos Estados Unidos custa o equivalente a R$ 75 mil.

“Por que baixar o preço se o consumidor paga?”, explicou o executivo.

Participe no Protesto!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Produção de veículos obtém queda de 19% em janeiro, diz Anfavea

Dados divulgados nesta segunda-feira (6) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) mostraram que a produção nacional de veículos (automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus) em janeiro obteve uma significativa queda de 19,2% em relação a dezembro. Ao total, foram 211.764 veículos que saíram da linha de montagem no mês passado, enquanto no último mês de 2011 foram 261.984.
Em relação às unidades produzidas em janeiro de 2011, a queda é um pouco menor, de 11,4%, quando foram fabricados 238.931 unidades. Essa retração deve ser levada em conta devido às vendas de janeiro, já que dezembro costuma ser um mês de maior procura no ramo. Segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), a comercialização de veículos retraiu em 23% de um mês para o outro.
“A queda na produção foi para equilibrar os estoques. A indústria está pronta para fevereiro, quando as vendas costumam aumentar mais”, afirmou o presidente da Anfavea, Cledorvino Bellini, que também e chefe da Fiat no Brasil. No mês retrasado, o estoque foi de 30 dias, com 347.748 veículos nos pátios. Em janeiro, subiu para 36 dias, com 319.881 exemplares.
Dados divulgados nesta segunda-feira (6) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) mostraram que a produção nacional de veículos (automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus) em janeiro obteve uma significativa queda de 19,2% em relação a dezembro. Ao total, foram 211.764 veículos que saíram da linha de montagem no mês passado, enquanto no último mês de 2011 foram 261.984.
Em relação às unidades produzidas em janeiro de 2011, a queda é um pouco menor, de 11,4%, quando foram fabricados 238.931 unidades. Essa retração deve ser levada em conta devido às vendas de janeiro, já que dezembro costuma ser um mês de maior procura no ramo. Segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), a comercialização de veículos retraiu em 23% de um mês para o outro.
“A queda na produção foi para equilibrar os estoques. A indústria está pronta para fevereiro, quando as vendas costumam aumentar mais”, afirmou o presidente da Anfavea, Cledorvino Bellini, que também e chefe da Fiat no Brasil. No mês retrasado, o estoque foi de 30 dias, com 347.748 veículos nos pátios. Em janeiro, subiu para 36 dias, com 319.881 exemplares.
Exportações
Conforme divulgou a Anfavea, 31.242 veículos leves foram produzidos no Brasil e exportado para outros países em janeiro. Este volume representa uma queda de 32,6% a dezembro, quando foram exportadas 46.357 unidades de automóveis. O mês de janeiro fechou com queda de 12,7% em valores em comparação com o mês anterior. Foram com US$ 833 milhões negociados (incluindo máquinas agrícolas) contra 953,8 milhões de dólares em dezembro.
Em comparação com janeiro do ano passado, houve uma alta de 18,1%. Naquele mês as exportações somaram US$ 705,6 milhões. Incluindo as máquinas agrícolas, o valor do mês passado atingiu US$ 1,16 bilhão, 8,8% inferior ao de dezembro e 22,9% superior que o do mesmo período de 2011.
Emprego
Em janeiro, a indústria automobilística empregou 145.134 novos funcionários. Em dezembro foram 144.634, portanto, no primeiro mês do ano houve alta de 0,3%. Já em janeiro, o avanço foi de 5,4%, quando foram empregadas 137.660 pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário