O preço não tem nada a ver com o custo do produto. Quem define o preço é o mercado”, disse um executivo da Mercedes-Benz, para explicar porque o brasileiro paga R$ 265.00,00 por uma ML 350, que nos Estados Unidos custa o equivalente a R$ 75 mil.

“Por que baixar o preço se o consumidor paga?”, explicou o executivo.

Participe no Protesto!

sábado, 31 de março de 2012

Novo acordo Brasil/México muda planos da Honda

http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2012/03/30/mudanca-do-acordo-brasilmexico-muda-plano-da-honda/

Joel Leite
 
– Fábrica mexicana vai diversificar a exportação, vendendo para o Chile, Peru e Colômbia.
As mudanças do acordo entre Brasil e México que permitia a livre negociação entre os dois países, mudou os planos da Honda na América Latina, que agora prevê exportar para outros países da região, conforme informou a agência Flash de Motor. O Diretor Geral da Honda, Takanobu Ito, disse à imprensa que agora suas vendas se canalizarão para outros países como Chile, Peru e Colômbia para reduzir os níveis de produção da fábrica que a Honda começou a construir em Gunajuato, no México.
Segundo ele “a Associação Mexicana da Indústria Automobilística e o governo federal são os que definirão as cotas de exportação para a marca e por isso achamos que será afetada a nossa parte das vendas para o Brasil dos carros produzidos no México”.
O empresário japonês reiterou que a Honda tem uma fábrica no Brasil, na qual não aumentaria a produção por causa do acordo. Ele afirmou que “no ano passado enviamos ao Brasil mais de 16 mil unidades e estimamos elevar esta cifra em 2012, mas por causa desta troca teremos que modificar as expectativas sem afetar a produção de mais carros.”
Segundo dados da associação dos fabricantes de carros do México, dos 131.384 carros exportados para o Brasil em 2011, a Honda participou com 11,3% e se não encontrar um mercado que receba estas unidades, terão que modificar os seus planos de produção. Durante o primeiro bimestre deste ano a marca japonesa exportou 52.507 carros, na sua maioria para os Estados Unidos.
Em setembro de 2011 a Honda colocou a pedra fundamental de sua fábrica em Celaya, Gunajuato, com a presença do presidente do México, Felipe Calderón; Carlos Guzmán Bofill, Diretor Geral do ProMéxico; Juan Manuel Oliva, Governador do Estado de Guanajuato; Takanobu Ito, Presidente e Diretor Geral mundial da Honda Motor Japão; Tetsuo Iwamura, Presidente da American Honda; Isamu Yamaki, Presidente e Diretor Geral da Honda México.
Ito lembrou que em agosto do ano passado a Honda anunciou a construção da nova fábrica em Celaya que tem como meta iniciar as suas operações em 2014 “considerando a necessidade do mercado mexicano, no qual tem uma expectativa de crescimento contínuo no futuro, principalmente na região norteamericana e outras regiões que sirvam como base de produção mundial”.
O presidente mundial da Honda disse ainda que “decidimos que o Honda Fit será o primeiro produto que será produzido nesta fábrica. Também queremos um eficiente sistema de produção que permitirá termos uma alta qualidade de produtos com um preço razoável, aumentando a utilização de peças locais”.
Com investimento de US$ 800 milhões, a fábrica terá capacidade de produção de 200 mil unidades, empregando 3,2 mil funcionários. Esta será a oitava fábrica da Honda na América do Norte. Com novos investimentos que serão feitos, a capacidade de produção anual da Honda chegará de 1,63 a 1,87 milhões de unidades, de acordo com o presidente da empresa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário