O preço não tem nada a ver com o custo do produto. Quem define o preço é o mercado”, disse um executivo da Mercedes-Benz, para explicar porque o brasileiro paga R$ 265.00,00 por uma ML 350, que nos Estados Unidos custa o equivalente a R$ 75 mil.

“Por que baixar o preço se o consumidor paga?”, explicou o executivo.

Participe no Protesto!

domingo, 15 de julho de 2012

A HORA E A VEZ DO CARRO USADO

 
Redução de IPI e de taxa de juros para estimular o aquecimento da venda de carros novos e desafogar os pátios dos fabricantes. Hoje o consumidor que busca seu carro 0-km tem uma infinidade de opções, a disputa pelo cliente está acirrada. Descontos, promoções, feirões, taxa zero do fabricante para financiamento e mesmo os bancos estão ajudando, com taxas atraentes a partir de 0,75% ao mês para financiar um carro novo. Ok, tudo isto é ótimo. Mas, o que fazer com o carro usado?

Semana passada meu gerente do banco ligou oferecendo dinheiro a 0,75% ao mês para trocar de carro. Particularmente, sou totalmente contra pagar juros, acho um dinheiro jogado fora, queimado, sem retorno algum, apenas para satisfazer aquela pressa de criança que muitos de nós temos de querer o brinquedo novo agora e de não termos que esperar até o Natal. Paga-se 15 mil em “suaves prestações” para se ter 10 mil agora, nesta brincadeira 5 mil são simplesmente queimados em juros, tudo por não saber esperar e nem ter paciência de juntar dinheiro. O banco agradece. 


Voltando ao meu gerente, já de olho neste post, disse que estava pensando sim em trocar de carro, só que não queria um 0-km, mas um usado mais novo do que o meu. Aí ele falou: “Ah, mas essa taxa de 0,75 é só para carro novo, para usado é 1,75%”.

Nenhuma ação vem sem uma reação correspondente. A queda de preço do novo e as facilidades de financiamento só para carros 0-km se fizeram sentir nos usados, o mercado sentiu o baque. E muito. Estive neste final de semana na tradicional Feira do Orca, que acontece aqui em Brasília todo domingo no estacionamento do Colégio Leonardo da Vinci de Taguatinga, próximo ao Taguatinga Shopping. Fui em dois domingos seguidos nesta feira, para tentar vender o Fiesta 2006 da minha esposa (estamos trocando em um Siena 2008 da mãe de um amigo meu, com apenas 30.000 km), dias 24 de junho e 1º de julho. O que vi lá foi assustador.

No primeiro domingo, fiquei ao lado de um Monza 93 “completo com ar e direção” e de um Siena Fire 2010 “completo de tudo, impecável, único dono”. O Monza foi vendido por 6 mil reais (o dono pedia 7 mil inicialmente), o Siena não foi vendido naquele dia. O papo com o dono do Siena, um negociante de carros, foi revelador. Ele pedia 21.900 no carro, mas entregava por 21 mil. (25.259 de tabela Fipe, em junho). Disse que tinha fechado por 23.900 (financiado) uma semana antes, mas o cliente foi à concessionária cotar um 0-km e a parcela do 0-km ficava muito próxima da parcela do usado e o cliente acabou preferindo o 0-km (quem não preferiria?). Coisas da diferença da taxa de juros.

Andando pela feira, vi muitas ofertas tentadoras. Só para dar exemplos, vi Fusion 2007 com 90.000 km, que na Fipe “valia” 40 mil, por R$ 33.900 (dá vontade de chorar ao pensar que paguei 45 mil no meu 2008 dez meses atrás...). Focus 2009 2-litros automático, R$ 41.170 de Fipe, por R$ 34.900. E o Focus estava um brinco, tinha apenas 26.000 km. Uma moça com o noivo tentava vender seu Clio 1,6 litro Privilège completo com airbags e tudo mais por 16,5 mil reais (Fipe, 21.300). Na saída, quando estava indo embora, vi um particular vendendo um Fiesta 2009 1,6 litro (25.800 de Fipe) por 23 mil, mas na conversa ele disse que baixava para 21,5 mil. Carro realmente inteiro, com 28.000 km. Disse que estava trocando de carro e que na concessionária deram 20 mil, ele queria ver se pegava um pouco mais na feira.

Domingo passado, nova visita. Fiquei ao lado de um Classic 2008 pelado e da barraca de pastéis. O Classic, que na Fipe “vale” 19,6 mil, saía por 16 mil e foi arrematado por 15 mil. Este mesmo carro, 0-km, pode ser achado por 23 mil. Mais uma andada pela feira e mais ofertas. Vectra Elegance 2006 por 27 mil (31 mil de Fipe). Mille Economy 2010 2p “pelado”, 18.100 de Fipe, o dono pedia 14.100 e não vendeu. Procurando, acha-se este Mille 0-km por 20 mil reais.
Olhando os preços na internet, vê-se que ainda estão pedindo mais alto do que o mercado está pagando. Um negociante me confirmou isso: Disse que na internet eles pedem 3 mil a mais, por causa da dor de cabeça de atender gente de outros estados. E que não saem muitos negócios dali, o grosso mesmo vem da feira, mas aí o preço é menor.

Muita gente de Minas Gerais vem buscar carro em Brasília, pois crêem que os carros da capital federal tendem a ser mais bem tratados, uma vez que só rodam em asfalto bom e Brasília está a pelo menos 900 quilômetros de distância da maresia mais próxima. Além disso, crêem que o clima seco favorece a conservação da pintura. Realmente, não me lembro de ter visto carros com problemas de corrosão na feira.


Enfim, para quem fez a lição de casa e juntou dinheiro para trocar de carro, a hora é de se considerar a compra de um carro seminovo. Com a grande queda do mercado de usados, quem tem dinheiro na mão consegue comprar um ótimo seminovo com um grande desconto se tiver paciência de procurar. Pelo preço de um Cobalt LS, com motor de 1,4 litro, que nem vidros com acionamento elétrico tem (36 mil, que é o que se consegue no mercado com os descontos), pode-se sair num Focus 2 litros automático com três anos de uso, com todos os mimos impensáveis no Cobalt, carro que 0-km custaria 56 mil reais.

Mesmo quem tem apenas 15 mil na mão e está pensado em financiar os 8 mil que faltam para comprar seu Classic 0-km, pode aproveitar o bom momento em que a diferença de preço para o usado está muito grande e comprar a vista um Classic 2008, podendo, sem dívida nenhuma, em vez de pagar uma parcela com juros, juntar dinheiro para mais para frente poder trocar este carro por outro mais novo.
 

2 comentários:

  1. E a procedencia dos usados...
    quem já comprou usado com problemas GRAVISSIMOS sabe o que é drama...
    muito dificil achar um mecanico de confiança para avaliar se um seminovo é confiavel...
    sabemos que o governo, as montadoras, as revendas...tem lucro absurdo em zero...mas tem fazem uma maquiagem muito boa nos usados....
    essa maquiagem que é o perigo...
    carro nunca será um bom negocio...e no brasil é um péssimo negocio...
    vca falam em méxico - tente viver por lá para vc como é legal ser o pinico dos EUA....
    argentina - povo muito educado e tudo mas...porém tb é muito f*-/!@# aquele lugar
    china - é o inferno na terra
    tente morar fora do brasil em qualquer pais - se gostar fique por lá...

    acho que hoje o custo brasil não é só de impostos...mas temos que admitir que apesar toda essa putaria do brasil..ainda é um ótimo lugar para ser viver...apesar de toda mentira que nos contam ...

    muito complicado isso tudo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um bom começo é NUNCA comprar um usado em agencia ou concessionária (e nem vender). Compre e venda de particular x particular e entre conhecidos. Mecanico de confiaça tem que ter, não só pra comprar, mas pra manter, pois via de regra o serviço nas concessionárias é caro e péssimo.

      Excluir