O preço não tem nada a ver com o custo do produto. Quem define o preço é o mercado”, disse um executivo da Mercedes-Benz, para explicar porque o brasileiro paga R$ 265.00,00 por uma ML 350, que nos Estados Unidos custa o equivalente a R$ 75 mil.

“Por que baixar o preço se o consumidor paga?”, explicou o executivo.

Participe no Protesto!

terça-feira, 24 de julho de 2012

Mais da metade das marcas chinesas pode desaparecer

http://autoestrada.uol.com.br/interno.cfm?id=4250

Mais da metade das marcas de automóveis chinesas desaparecerão nos próximos três a cinco anos. A previsão foi feita pelo vice-presidente e secretário geral da Associação Chinesa de Fabricantes de Automóveis, Dong Yang.
O mercado chinês deverá tornar-se ainda mais competitivo nos próximos anos, devido às restrições às vendas de veículos nas maiores cidades do país, impostas pelas cidades para tentar controlar os engarrafamentos, e à expansão da produção das marcas internacionais.
Deficiências - No primeiro semestre deste ano, as vendas de automóveis na China cresceram 7,1 por cento, comparadas às do mesmo período em 2011. Ao mesmo tempo, as vendas das marcas autenticamente chinesas caíram 0,2 por cento.
Com esses resultados a participação das marcas domésticas no mercado chinês foi reduzida em 3 pontos percentuais, caindo para 41,4 por cento do total.
De acordo com o executivo chinês, as marcas locais sofrem desvantagem principalmente nas áreas de pesquisa e desenvolvimento e imagem corporativa. Isso, inevitavelmente, deve levar a uma queda ainda maior na sua participação no mercado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário